sábado, 15 de março de 2014

Prefeitura de São Paulo promete repasse de R$ 360 mi para monotrilhos

Dinheiro será usado para a construção das Linhas 15-Prata, na zona leste, e da 17-Ouro, na sul. 

SÃO PAULO - A Prefeitura de São Paulo promete repassar R$ 360 milhões para a construção de dois monotrilhos, as Linhas 15-Prata, na zona leste, e a 17-Ouro, na sul. Com isso, pela primeira vez, o governo do Estado começa a falar em obras desse segundo ramal em Paraisópolis. 

Atualmente, só o trecho central da Linha 17 está sendo construído, entre Aeroporto de Congonhas e a Estação Morumbi da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), na Marginal do Pinheiros. Nesse trajeto, os trabalhos começaram há dois anos. O aporte municipal permitirá o avanço do ramal para além do rio, com a criação das Estações Panamby, Paraisópolis e Américo Maurano. 

Será o primeiro aporte volumoso de dinheiro da Prefeitura sob o comando de Fernando Haddad (PT) ao Metrô. Outras parcerias no setor incluem a elaboração de projetos para a extensão da Linha 5-Lilás para a região de Jardim Ângela, na zona sul, e R$ 80 milhões para as obras da Linha 4-Amarela, que neste ano completam dez anos. 

"Fora o que a Prefeitura vai gastar em desapropriação para viabilizar o caminho do monotrilho até a Estação Jabaquara", disse Haddad. Cerca de 2 mil famílias em moradias irregulares serão reassentadas. 

Também nesta sexta, o governo Alckmin anunciou que a entrega do primeiro sistema de monotrilho da capital não será em março, conforme anunciado no início do ano. Agora, a inauguração da Linha 15-Prata só deve ocorrer em maio - originalmente, seria em janeiro. E o funcionamento inicialmente será em forma de "visitas" dos passageiros aos fins de semana. 

Segundo o presidente do Metrô, Luiz Antonio Carvalho Pacheco, houve atraso em relação ao cronograma e a empresa responsável pela construção dos trens, a canadense Bombardier, está sendo multada. 

O Estado de São Paulo – Caio do Valle - 14/03/2014

2 comentários:

Anônimo disse...

Um erra e o outro erra também.......Monotrilho é concepção de transporte limitada , vai saturar instantaneamente.

SINFERP disse...

O de São Paulo é inédito quanto ao emprego. Duas possibilidades: 1) será um sucesso; 2) será o maior "mico" da história. Vamos ver o que acontece...