quarta-feira, 26 de março de 2014

Acusados de cartel negam ilegalidade ou adotam silêncio

A Siemens informou ontem (25/3) que tem interesse em que "todas as responsabilidades sejam apuradas com transparência" e que adota "postura de tolerância zero contra qualquer conduta ilegal", ao comentar a notícia de que o Ministério Público estadual ofereceu à Justiça de São Paulo denúncias criminais contra 30 executivos e ex-executivos de 12 empresas acusadas de participar de um cartel em projetos da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e no Metrô de São Paulo. As fraudes teriam sido preparadas entre 1998 e 2008, nos governos de Mário Covas, Geraldo Alckmin e José Serra, todos do PSDB. A Alstom não se manifestou porque não teve acesso às denúncias. A TTrans disse que sempre norteou suas ações "na lisura e não participou de eventuais conluios" e que respondeu ao Cade "comprovando o posicionamento ético da empresa". A Mitsui & Co (Brasil) afirmou que vai "cooperar diligentemente com o processo" e que Masao Suzuki não é mais seu diretor.

A MGE se coloca à disposição das autoridades. O criminalista José Luís Oliveira Lima alegou que Ronaldo Moriyama, ex-executivo da empresa, "sempre pautou sua atividade profissional pela ética e correção e nega a prática de qualquer ato irregular." O advogado Guilherme San Juan, defensor de Eduardo Basaglia, da Alstom, disse que não pode se manifestar enquanto não tiver acesso à acusação.

A Bombardier destacou que "segue os mais altos padrões éticos e tem confiança de que seus funcionários agem de acordo com as leis". A Secretaria de Transportes Metropolitanos informou que o Metrô e a CPTM "estão colaborando com todos os órgãos que investigam as denúncias sobre formação de cartel" e que o governo "é o maior interessado em apurar os fatos e exigir ressarcimento aos cofres públicos".

A Tejofran respondeu que "a atividade do gerente comercial Ricardo Lopes restringe-se à preparação documental de processos licitatórios". Segundo a empresa, a "análise documental demonstrará a modicidade dos seus preços." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Época Negócios -23/03/2014

5 comentários:

Paulo Lima UM LUTADOR disse...

Olá Sinferp, tudo bom. Andei meio sem tempo e fiquei sumido do Blog. Aos poucos estou voltando. E já trago essa notícia aqui pra voçes quiserem publicar, é daqui de Campinas.
Onde o Prefeito pretende implantar Monotrilho em Campinas, para ligar o Aeroporto ao Centro. Na verdade, ainda os Estudos vão dizer qual melhor, se é o VLT ou Monotrilho. Eu prefiro o VLT que ande na beirada da Rodovia Santos Dumont (qualquer dia vou fazer uma maquete virtual, e entregar para Prefeitura e para futura Empresa que fará os Estudos, sugerindo a ideia. Na verdade, falta conhecimento dos Politicos ainda sem relação ao VLT).
Aqui o link da Noticia, onde Campinas quer estudar a implantação do Monotrilho, ou pelo VLT.

Link:
http://www.oestesom.com.br/portal/cidades/campinas-vai-avaliar-instalacao-de-monotrilho

Muito obrigado mesmo Sinferp, Abraços e obrigado!

SINFERP disse...

OI, Paulo Lima. Gratos pelo link. Postado e com comentário. Abraço

Anônimo disse...

A coisa tá pegando: http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/03/1430592-promotoria-denuncia-30-executivos-de-12-empresas-por-formacao-de-cartel.shtml

SINFERP disse...

E esperamos que pegue mais.

SINFERP disse...

E esperamos que pegue mais.