sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Dia da Mobilidade Urbana. Finalmente!

Graças a uma feliz iniciativa do Vereador Alex da Academia (PDT), a cidade de Osasco passou a contar em seu calendário oficial com o “Dia da Mobilidade Urbana”. Com isso, 31 de outubro passa a ser uma data marcante para Osasco, nada menos que 12º PIB do país, posição que lhe confere projeção no cenário nacional, mas que lhe impõe, proporcionalmente, grande responsabilidade.

O Dia da Mobilidade Urbana, criado pela Lei Municipal 4.570 de 19 de abril de 2013, foi comemorado ontem pela primeira vez, com a realização de uma cerimônia de caráter oficial, às 19 horas, na Sala das Sessões Tiradentes, Câmara Municipal. A sessão, bastante prestigiada pelo público, foi aberta pelo Presidente da Câmara, Vereador Antônio Aparecido Toniolo (PCdoB). Presentes outras importantes autoridades que também prestigiaram o evento, dentre elas, Vicente Abate, presidente da ABIFER (Associação Brasileira da Indústria Ferroviária) e Everson Paulo dos Santos Craveiro, presidente do SINFERP.

Da esquerda para a direita: Vicente Abate,
Éverson Paulo dos Santos Craveiro e
Antonio Aparecido Toniolo.
Durante a sessão, transmitida ao vivo pela TV Osasco, dois palestrantes abordaram temas conexos à mobilidade urbana, enfatizando aspectos preocupantes deste tema e apontando problemas que comprometem a qualidade de vida da maioria dos cidadãos.

Rogério Centofanti
O primeiro a falar foi Rogério Centofanti. Psicólogo e Consultor do SINFERP (Osasco-SP), Rogério coordena o SINFERP Cidadão e edita o São Paulo Trem Jeito. Sua palestra intitulou-se “Mobilidade urbana: um olhar além dos números”, onde a importância do fator humano foi ressaltada. Para Rogério, o acesso à cidade e à plena cidadania só são plenamente atingíveis na medida em que o cidadão possa andar a pé, de maneira confortável e segura, pelas ruas e calçadas. Isso, contudo, não acontece nem mesmo em bairros privilegiados de uma cidade como São Paulo, por exemplo. 

Enquanto o leito das ruas recebe manutenção especial, privilegiando os pneus, as calçadas são esburacadas, não são planas, frequentemente são estreitas demais e ainda recebem lixo. É sobre as calçadas que muito material de descarte é abandonado. 

A questão é que vivemos numa cidade que se constrói, cada vez mais, pela lógica do automóvel, e é a esta lógica das máquinas que se subordina o cidadão quando caminha. Semáforos e faixas de segurança condicionam o andar a pé não ao conforto e à conveniência dos homens, mas à facilitação da circulação do transporte marcadamente individual e privado, para o qual o coletivo perde cada vez mais lugar. Para Rogério: “Não faz sentido o dinheiro de todos nós bancar a infraestrutura de circulação dos veículos individuais e privados”.

Peter Alouche na tribuna.
O segundo palestrante foi o Dr. Peter L. Alouche. Peter é engenheiro elétrico e foi um dos responsáveis pela estruturação do sistema de alimentação e controle do metrô de São Paulo na década de 70. Atualmente presta consultoria à Headways, SP, uma das maiores autoridades em VLT no Brasil. Sua palestra teve como título “VLT: solução duradoura e sustentável para transporte coletivo”. Numa apresentação brilhante, Peter aponta as vantagens que o VLT oferece em relação a outros meios de transporte. Ele enfatizou ainda que a implantação de qualquer modal deve, antes mesmo de preocupar-se em responder à demanda, levar em conta as questões ambientais. Peter acredita que “é preciso elaborar projetos que ultrapassem as questões políticas e sejam executados independentemente de posições partidárias”. Disse ainda que “nenhum modal vale a pena, quando não é aprovado e aceito pelos que dele necessitam”.


Vereador Alex da Academia
acompanhado dos palestrantes
Rogério Centofanti (esq.) e Peter Alouche (dir.).
São Paulo Trem Jeito e o SINFERP não estão alheios a esta causa. Mobilidade Urbana é um tema que preocupa e que deve ser acompanhado de perto pela sociedade civil, pelo cidadão consciente de seus deveres e de seus direitos. 

A cidade é o lugar onde vive a grande maioria dos homens. É preciso humanizar esta cidade, adequando-a às necessidades humanas e não às mecânicas, sob pena de inviabilizarmos nosso espaço urbano, levando-o a um estado crítico. 

2 comentários:

Paulo Humberto disse...

Quero mais uma vez dar aos Parabens a voçes do SIFERP, que conseguiu ao menos um pedacinho de conquista, lógico que com pedacinhos em pedacinhos conseguiremos um dia conquistar esse pedação. Que é o dia da Mobilidade Urbana. Ou seja, Osasco já é o primeiro passo. Acredito que essa ideia logo logo vai espalhar em todo Brasil, e quem sabe um dia se tornar um Feriado Nacional(não é impossível). E outra, gostaria muito que voçes em Comitiva caminhasse em todas Cidades Brasileiras que tem Projetos na Mobilidade Urbana, e mostrar que o VLT também é a Solução, do que o BRT. Ou seja, as Cidades de médio e grande Porte em todo Brasil tem sim bons projetos para Mobilidade, mais se voçe for analisar 90% dos Projetos é só de BRT, no máximo de Ferrovia só Metrô e Trem Suburbano. Ou se tiver VLT, mais não é do tipo que queremos ver aqueles do tipo "Bonde Moderno sobre as Ruas" e só pegar esses VLTs da Bom Sinal movidos a diesel e substituir os Antigos Trens ou pegar esses VLTs e fazer circular só ná linha férrea separada. Ou seja, muitos chamam de VLT só por causa do tipo do Trem que substituiu os Antigos Trens. Tudo bem! Nada contra as Modernizações dos Sistemas de Trens da CBTU em Recife, Maceió e Fortaleza. Mais o que ainda estou indignado , é que os Projetos de VLT de lá não é bem do jeito que estamos propondo.
E queria muito e até pedindo ajuda de voçes, que fossem para São José dos Campos-SP. Para mostrar ao Povo a importância do VLT. Porque a maioria dos IGNORANTES estão lutando contra o Modal e dando prioridade ao BRT. Nao vamos deixar que mais uma Cidade abandone a ideia do VLT, só por causa das "cabeças burras" que pediram o BRT. Vamos lutar para o VLT também de Sao José dos Campos e mostrar como as Cidades se valorizam no Urbanismo após o VLT operando. E outra, queria muito também, que voçes um dia vinhesse aqui para Campinas, para tentar convercer o Prefeito Jonas Donizzete(PSB) que a volta do VLT é importante(apesar que ele está prometendo os recursos para o Projeto de ressusitar o que foi perdido no passado), e a extenção da Linha 7 da CPTM até a RMC também é importante. E fazer esses Políticos parar de ficar pensando só no Trem-Bala que nunca vai sair(e nao tam nada haver com Trem-Metropolitano). Eu seja, queremos lançar uma Campanha que "Campinas Trem-Jeito"!!!! E outras Cidades Brasileiras "Trem jeito" sim.
Um abraços a todos voçes, muito obrigado mesmo de coração. Paulo Humbero de Campinas.

SINFERP disse...

Gratos pelas palavras gentis, Paulo Humberto. Estamos sempre a disposição, mas não temos, por iniciativa própria, como promover eventos em cidades. Em Osasco tivemos a sorte de contar com os esforços do vereador Alex da Academia. O mérito é todo dele. Apenas nos colocamos a disposição, ajudamos e ajudaremos como for possível.

Abraço