quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Vazamento de óleo interrompe ramais de trens, diz SuperVia (RJ)

Enquanto isso...
Problema ocorreu em Campos Elíseos e três estações foram fechadas.  Três ramais foram afetados: Saracuruna, Vila Inhomirim e Guapimirim.

Um vazamento de óleo em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, invadiu a linha férrea e causou a interrupção da circulação dos ramais de Saracuruna, Vila Inhomirim e Guapimirim por volta das 9h40 desta quarta (9), segundo a Supervia. 

A empresa informou que três estações foram fechadas: Campos Elíseos, Jardim Primavera e  Saracuruna. A circulação era feita normalmente entre as estações Central do Brasil e Gramacho, onde os passageiros eram obrigados a desembarcar por volta das 10h.

Bombeiros do quartel de Campos Elíseos foram encaminhados ao local, mas nenhuma explosão foi registrada. A área no entorno do vazamento foi totalmente isolada, de acordo com eles. Equipes do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) também foram para a região.

Segundo a empresa, nenhuma alternativa de transporte era oferecida aos passageiros até esse horário. Os demais ramais funcionavam normalmente.

A Supervia informou por volta das 15h desta quarta que a circulação entre as estações Gramacho e Saracuruna, do ramal Saracuruna, e dos ramais Vila Inhomirim e Guapimirim continuava interrompida. Até as 15h30 não havia previsão para o retorno normal das atividades.

Às 15h50 a circulação entre as estações Gramacho e Saracuruna (ramal Saracuruna) e nos ramais Vila Inhomirim e Guapimirim foi retomada.

G1 – 09/10/2013

Comentário do SINFERP


O que mais falta acontecer aos sofridos usuários dos trens metropolitanos do Rio de Janeiro?

4 comentários:

Vanessa Dafne disse...

5 acidentes

alex sandro disse...

falta os "sabotadores" da cptm irem lá jogar cabos de vassouras nas rede area...

SINFERP disse...

Pois é Vanessa... E assim vai, de acidente em acidente...

Boa essa, Alex Sandro: a SuperVia pode dizer que tudo isso deve-se a "vândalos" e "sabotadores" da CPTM que migraram para o Rio de Janeiro.

SINFERP disse...

Pois é Vanessa... E assim vai, de acidente em acidente...

Boa essa, Alex Sandro: a SuperVia pode dizer que tudo isso deve-se a "vândalos" e "sabotadores" da CPTM que migraram para o Rio de Janeiro.