segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Paulistanos devem adotar os trilhos

Enquanto isso...
Até 2020, haverá duas vezes mais paulistanos viajando de trem e metrô do que circulando nos ônibus. A previsão é que em sete anos o número de passageiros sobre trilhos passe dos atuais 7,2 milhões para 16,5 milhões. Já as viagens diárias em ônibus, que hoje são 9,8 milhões, cairão para 7,8 milhões em 2020. Essa mudança no cenário, que se aproxima muito mais do modelo das grandes cidades europeias, vai exigir do governo do Estado de São Paulo investimentos acima de R$ 45 bilhões no Plano Plurianual do Estado (PPA), que se estende de 2012 a 2015. No último dia 22, o secretário dos Transportes Metropolitanos de São Paulo, Jurandir Fernandes, viajou a Brasília para amarrar um reforço de financiamento de R$ 10,7 bilhões dentro do pacote de R$ 50 bilhões do PAC anunciados pelo governo. "Estamos avançando a passos mais rápidos que o previsto", comemora o secretário.

Segundo Fernandes, o governo paulista elegeu como prioridades a expansão e modernização da rede metroferroviária (Metrô e CPTM), que conta atualmente com 335 km de extensão com integração física e tarifária. Faz parte dessa rede, a implantação de corredores de ônibus da EMTU/SP.

Um total de R$ 18,963 bilhões desse pacote está sendo destinado a quatro contratos em andamento nas linhas 4, 5, 15 e 17. Outros R$ 20,2 bilhões estão sendo absorvidos pelas linhas 2, 6 e 18 que serão lançadas no mercado e que - segundo o secretário - "já estarão em obras no próximo ano". Cerca R$ 5,4 bilhões estão endereçados à CPTM para a compra de mais 65 trens - o contrato foi assinado em setembro -, além da reforma e construção de 34 estações.

De acordo com o secretário, caso se consiga um dinheiro novo do PAC - os R$ 10,7 milhões agora solicitados -, ele será aplicado na antecipação dos trens regionais, que ligarão São Paulo a Jundiaí, Campinas e Sorocaba. "Já estamos começando por Jundiaí-Campinas, mas em vez de tocar inicialmente um trecho, poderíamos começar com dois", afirma.

Outra possibilidade é aplicar esse recurso "em alguma nova linha do metrô ou fazer novas extensões". "Temos projetos já delineados até 2030, seis deles já apresentados, dois do metrô, dois da CPTM e dois da EMTU, que caberiam nesses valores", afirma. Essas possibilidades - que estão sendo discutidas com Brasília - incluem a extensão da Linha 5 até o Jardim Angela, além da construção de estações e corredores de ônibus. "Quando todos esses projetos estiverem concluídos, ultrapassaremos os 10 milhões de passageiros/dia sobre trilhos, diante de 7,2 milhões hoje" afirma o secretário.

Ainda sobre o modal trilho, o governo paulista está construindo o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) da Baixada Santista, obra que é tocada pela EMTU. "O VLT não é mais uma hipótese, a construção está em pleno vapor, soma R$ 1,03 bilhão e deve entrar em teste em junho de 2014", diz o secretário.

O trecho em obras envolve a ligação de 9,5 km entre São Vicente (Barreiros) e Conselheiros Nébias (Santos), mais a extensão de 7,1 km de Conselheiro Nébias a Valongo, também em Santos. Os dois trechos totalizam 16,6 km de extensão, serão totalmente integrados às linhas de ônibus metropolitanas e municipais, beneficiando 70 mil passageiros por dia.

O Plano Plurianual 2012-2015 apresenta, entre suas metas a implantação de mais 30 km de linhas de metrô, ultrapassando 100 km até 2014. Na CPTM, o foco é a modernização das seis linhas existentes, que recebem obras de infraestrutura, reconstrução e readequação das estações mais antigas e renovação da frota de trens.

Segundo a Secretaria de Transportes Metropolitanos, estão em andamento as obras de construção e ampliação da linhas 4 (Vila Sônia-Luz), da Linha 5 (Largo 13-Chácara Klabin) - essas duas em metrô -, além das Linhas 15 (Ipiranga-Cidade Tiradentes) e 17 (Jabaquara-Aeroporto de Congonhas-Morumbi), essas últimas em monotrilho.

Há obras previstas para serem iniciadas ainda neste ano: extensão da Linha 2 (Vila Prudente à Via Dutra), que está com licitação em andamento, e das linhas 18 (Tamanduateí até o ABC) e 6 (Brasilândia-São Joaquim), ambas em licitação no modelo de parceria público-privada.

Ainda de acordo com a secretaria, em 2013 a CPTM começa as obras de extensão da Linha 9 até Varginha, a implantação da Linha 13, Trem de Guarulhos, e deve concluir o trecho Itapevi-Amador Bueno, da Linha 8.

Os planos do Metrô de São Paulo preveem para 2014 uma nova estação na Linha 5 e duas estações na Linha 15, que está sendo construída em elevado. A Linha 4 receberá as estações Fradique Coutinho, Oscar Freire, Higienópolis-Mackenzie e São Paulo-Morumbi. Já a estação Vila Sônia será entregue em 2015.
O primeiro trecho de 7,7 quilômetros da Linha 17, entre o aeroporto de Congonhas e a estação Morumbi, deve estar funcionando a partir do segundo semestre de 2014.

Na lista de realizações para este ano, ainda estão previstas três novas licitações: Linha 6 (Brasilândia-São Joaquim), com 15,9 km e 15 estações; a Linha 18, (Tamanduateí-Paço Municipal - ABC), em monotrilho - a linha permitirá uma ligação direta entre a região do ABC (São Bernardo do Campo) com o sistema metroferroviário na estação Tamanduateí, em São Paulo. Com 12 estações, 14,3 km de extensão, a linha atenderá cerca de 304 mil passageiros por dia.

A terceira licitação ainda neste ano é para a extensão da Linha 2, ligando Vila Prudente à Dutra, com 13,5 km e 12 estações. Deve transportar em média 1,7 milhão de passageiros diariamente.

"Temos quatro obras do metrô em andamento com perspectiva de mais três para começar até o ano de 2014, que são a Linha 18, a extensão da 2 e a Linha 6", resume o secretário Fernandes. A proposta para a Linha 6, que ligará a Freguesia do Ó à estação São Joaquim, estava prevista para ser aberta no dia 31 de outubro. "Trata-se de uma parceria público-privada completa e arrojada, em que o capital privado vai fazer desde a execução das obras civis até a operação, passando pela compra dos trens, energia, sinalização e execução das desapropriações", diz o secretário. "È uma forma de PPP inédita", completa. Vamos ver se essa situação nova prevalece e abre um novo caminho para o futuro da infraestrutura no país", afirma.

Valor Econômico – 28/10/2013

Comentário do SINFERP


Pelo andar da carruagem os planos estão bem na frente das realizações. Os trechos da CPTM a serem “expandidos” na verdade serão recuperados, pois já existiam. Única coisa nova é o trem para Guarulhos (que também já existiu no passado). Monotrilho tem caráter experimental. Não se fala em VLT na capital paulista. Trens novos e modernização do sistema (aquisições feitas de forma invertida), mas nas mesmas linhas. Reconstrução e restaurações de estações mais antigas, mas sobre os mesmos e velhos moldes, mantendo os mesmos e velhos problemas de segurança, conforto e funcionalidade. Como de costume, a população usuária alijada dos planos do governo.

10 comentários:

Paulo Humberto disse...

Lembrete, aqui na Regiao de Campinas existe uma luta para que a Linha 7 da CPTM seja estendida até Campinas, passando por Louveira,Vinhedo e Valinhos. Só que infelizmente muita gente ainda nao olha isso com Bons Olhos e acham inviável essa ideia por dar prioridade ao TAV e Trens Regionais e pela linha só "reinada" só da ALL e MRS. Ou seja, o Trem-Metropolitano nao tem nada haver com o TAV e Regional, e muitas "Politicos desinformadas por quererem ser mesmo" ficam contrariando a ideia por causa do MALDITO TAV. Ou seja, a falta de conhecimento faz que os Projetos ficam inviável ou demoram mais, e "eles" nao querem ouvir agente, por ter conhecimento, preferem ouvir um "povinho burro leigo" que nem sabe que é VLT (por exemplo) e ainda são usados como "massa de manobra" para protestar contra a ideia em favor do BRT. Isso me revolta.
E sobre essa previão de que até 2020 vai ter pessoas andando de trem, é o numero de demanda natural de acordo com o crescimento da Cidade. E DUVIDO que ate esse ano o Governo(nem que seja PT, PMDB, PV e entre outros no futuro Governo do Estado) vai conseguir melhorar todo serviço da CPTM, Metrô e ainda conseguir tirar do Papel os Trens Regionas para ligar a Estação Agua Branca(Sao Paulo) a Sorocaba-SP e outra linha para Jundiaí-SP(possivel extenção até Campinas) e outra pra Santos-SP, e também se até esse ano o Governo vai extender a Linha 7 até Campinas(na verdade se cria outra Linha nova) e se o Governo Federal cconseguir Licitar ao menos a 1° Fase do Desenho a Mão do Pré-Projeto d o Trem-Bala. Ou seja, se o Governo quer que todo mundo sai do ônibus e carro para o Trem, entao o Governo do Estado e Federal tem que tirar do Papel todo esses Projetos que ainda está num Sonho pelo jeito só para próximas Geraçoes. E outra, o menos mal é que está saindo do Papel(depois de 20 anos de promessa) o VLT da Baixada Santista e até fim do ano que vem a previsão para iniciar as obras do VLT de São José dos Campos-SP. E no caso de Campinas-SP,parece que o Prefeito vai buscar verba Federal para retomar os Estudos para ressuscitar o VLT da Cidade e ele mesmo percebeu numa Entrevista, que só o BRT nao vai comportar o tamanho da Cidade de Campinas, tem que se pensar além do BRT.

Abraços a todos do SINFERP.

Anônimo disse...

A linha 7 devido ao seu carregamento será difícil estendê-la até Campinas , pois esta já esta saturada . O que se pode fazer é a implantação de trens expressos com poucas paradas que saiam de um terminal de fácil acesso a ser construído....Com relação ao TAV , tenho críticas com relação a sua concepção devido aos "acidentes geográficos" . Em termos de relevo , estamos parecidos com o norte da Itália que na década de 70 implantou o seu serviço de trens de alta velocidade com a concepção de trens pendulares , ou seja , um sistema mecânico automático que inclina a composição para que a mesma possa desenvolver velocidades de até 200 km/h . É interessante e digo mais : o país europeu que recentemente acolheu e já está em operação é na Republica Tcheca.
Link ; http://finexpert.e15.cz/Files/Obrazky/Clanky/2005/09/Pendolino/01.jpg

SINFERP disse...

E pensar que existiram trens de passageiros por todos esses lugares, não é? Também somos defensores dos PENDOLINOS, até mesmo para aproveitamento do que restou de nossas linhas, todas elas nas mãos das operadoras de carga. Também não acreditamos, Paulo Humberto, em soluções a vista, independente de partido que estiver no governo. De fato, nada a ver TAV com Trem Regional, e menos ainda com trem metropolitano, mas...

alex sandro disse...

boa grana a ser investida e 1/3 disso td alguém chuta pra onde vai???

SINFERP disse...

Ora, Alex Sandro, todo mundo sabe, e quem não sabe desconfia. rsrsrs

Anônimo disse...

"Ainda de acordo com a secretaria, em 2013 a CPTM começa as obras de extensão da Linha 9 até Varginha, a implantação da Linha 13, Trem de Guarulhos, e deve concluir o trecho Itapevi-Amador Bueno, da Linha 8."

sobre o trecho itapevi-amador bueno, quem nao conhece e lê deve imaginar uma baita obra... nada disso. estao apenas "recuperando" uma linha que já operava trens de suburbio, que foi desativada temporarimente para "modernizaçao" e apenas o que fizeram foi colocar a bitola larga e a sinalizaçao do ATC. mas e as novas estaçoes, poderiam ser no padrao das novas q a CPTM fez, como em vila aurora e sao miguel paulista, certo? errado, continua sendo paradas, com passagens de nivel, só que com uma pintura nova e bloqueio, pois agora o trecho é tarifado. nao acredito que farão o mesmo na extensao da linha 9 e na linha 13, mas se em amador bueno demoraram tudo isso e gastaram toda uma grana para só dar um "tapa" no trecho, imagina nesses outros 2 que farão um serviço mais caprichado, a demora e o custo (o direto e a caixa 2) que vai haver.

Anônimo disse...

uma forma "simples, rapida e barata" de aumentar e otimizar o transporte sobre trilhos em SP é investir a curto prazo nas integraçoes. veja q por exemplo para ir da linha 10 pra linha 7 sao 2 integraçoes. da linha 8 para qualquer linha de metro que nao seja a 3, no minimo 2. isso poderia ser melhor resolvido, se existisse integraçao entre julio prestes e luz (trecho BFU e JPR é quase morto), integraçao entre as estaçoes da lapa, levar a linha 7 até o bras e trazer o expresso leste ate barra funda.

Anônimo disse...

Poxa . Aqui para se construir uma linha de Metrô ou Trem Metropolitano é uma choradeira, uma enrolação ......Olhem só , na Turquia :
http://www.youtube.com/watch?v=4Arm-QjxEmc

SINFERP disse...

Os caras conseguem deixar as coisas piores do que já foram. Estão apenas devolvendo trechos já servidos, mas com o nome de "expansão". É o governo do me-engana-que-eu-gosto. Insistimos em afirmar que, pelo fato de trafegar na superfície, a CPTM tem oportunidades imensas integrar as linhas. Ao contrário, com o passar dos anos desintegra até mesmo o que já era integrado.

Paulo Humberto disse...

Ao Anonimo. Tudo bom? Obrigado por compartilhar a minha mensagem. Então... sobre a extensão da Linha 7 até Campinas. O que já falei varias vezes, e o que defendemos não é desse trem servir de ligação direto entre Campinas a São
Paulo. E entendemos que se pensar nisso, o Projeto já nasce morto e fica inviável. O que defendemos e cuja ligação e integração para Região Metropolitana de Campinas e Aglomerado de Jundiaí, e como as Cidades são próximas só que as ligaçoes em Avenidas e ônibus Coletivos nao comportam e ficam meio fora de mão, entao sempre defendemos um Trem-Metropolitano. E outra, a região cresce a cada ano, e o transito é infernal, o que lutamos e só mais uma opção para o transporte público. O que me deixa até chateado, e pessoas da Capital que nem conhece Campinas direito, acham que a Região nao necessita de Trem, por achar que está no "interzinho de Sao Paulo numa Terra Caipira onde só tem Cidades pequenas". Ou seja, nos últimos 20 anos de PSDB no Governo de Sao Paulo, Campinas nunca foi tratada como uma grande Cidade, sempre como "Cidade comum de Interior". Por isso que muitas pessoas acham que o Trem-Metropolitano ate a Região nao necessita que só os ônibus Simples num transito livre sem congestionamento já é de bom tamanho. Eu que luto muito para que tudo "Trem-Jeito" fico revoltado com as mentalidades atrasas do Povo Brasileiro, que nao tem olhar Ferroviário e só pensa no Carro e ônibus. E outra, sobre o Trem Bala e Regional, esquece!! Isso só vai ser retomado depois das Eleiçoes, ou seja, tudo só será retomado só após 2015. Já basta que ocorreu com a Licitação do tao Prometido TAV pelos Petistas.E o Trem-Reginal defendido pelo PSDbistas tambem pelo jeito está "congelado". Ou seja, no máximo o que vai avançar no Projeto, é só um "Blá blá blázinho" de vitrine para reeleição de Alckimin em 2014, depois disso se caso o mesmo Governado ganhar, talvez retoma o Projeto dos Trens-Regionais, mais lembrando que até 2017 nao se espere nada de Licitaçaõ do ainda do Pré-projeto, e se agente quer ver início das obras, acho que só em 2019 veremos as máquinas iniciando os trabalhos. Por isso que minhas esperanças já acabaram. Odeio Político mentirosos!!! Falsos!!! Enganadores!! Só ficam empurrando para longo Prazo bem distânte os Projetos que há anos já estamos lutando.
Por isso que a única esperança que ainda me resta, e só ver os VLTs que Cuiabá-MT e Baixada Santista-SP ficarem prontos(com certeza com obras atrasas em 3 anos), e início das obras do VLT do Rio de Janeiro e São José dos Campos-SP que prazo para conclusão... só daqui uns 10 anos(com certeza as obras vão atrasar por causa de Chuvas, Erros de Projetos(nova moda para atrasar), desapropriações e MP e MPF entrando com ação contra as obras por diversas irregularidades e ainda sem falar do grande Lobby dos Empresários de ônibus e sem falar dos Blogueiros e Jornalistas das Regiões que fazem artigo atacando o VLT.
Me revolta, sabe....