domingo, 27 de outubro de 2013

Guia turística de Santos, SP, vira condutora de bonde

Cristiane Mascarenhas, de 37 anos, trabalha no bonde turístico da cidade. Linha percorre principais ruas do Centro Histórico de Santos.

Uma guia turística de Santos, no litoral de São Paulo, se tornou a primeira condutora de bonde do Brasil. Na cidade, três dos antigos veículos estão em funcionamento em uma linha histórica. Agora, se o passageiro tiver sorte, pode se deparar com uma mulher ajudando a conduzir um dos meios de transporte mais emblemáticos do país.

Cristiane Mascarenhas Gonçalves, de 37 anos, não imaginava que se tornaria uma condutora de bonde. Ela é formada em turismo, trabalhou como guia em agências e no terminal marítimo de passageiros do porto santista, mas estava como vendedora de uma loja quando soube do processo seletivo para se tornar condutor de bonde. “Eu tinha habilitação, segundo grau, então fui lá ver. Fiz uma entrevista, passei. Fiz uma prova, passei. Fiz uma segunda avaliação, passei. Fiquei em segundo na classificação”, conta.

Após um ano, ela foi chamada para ser condutora do bonde turístico em Santos. “Eu achei que eles não iam me chamar mais”, diz. Antes de começar, fez um treinamento com outros condutores, já que mal sabia quais eram as responsabilidades daquela função.

Agora, já está trabalhando dentro do bonde e percorre as ruas por meio de trilhos que foram construídos há décadas. Todos os dias, junto com moradores e turistas, ela passa por diversos pontos históricos da cidade e vai aprendendo um pouco dessa antiga profissão, mas que ainda é nova na vida dela. “A gente auxilia para mudar a via férrea. Mudamos o fio em cima para alterar a direção. Auxiliamos o motorneiro (motorista) no trânsito, na hora de virar, de fazer passagem, quando tem muito carro no trilho, e toda a hora tem isso”, explica Cristiane.

Segundo a Prefeitura de Santos, Cristiane é a primeira condutora de um bonde em Santos e, provavelmente, é a primeira do Brasil. De acordo com a Secretaria de Turismo, Belém e Rio de Janeiro ainda utilizam bondes que estão em manutenção. Mesmo assim, nas duas cidades não há registros de contratação de nenhuma mulher na função de condutora de bonde.

A presença feminina nos bondes turísticos de Santos é novidade entre os motoristas desse antigo veículo, chamados de motorneiros. Eles se revezam na atividade e já tiveram a oportunidade de trabalhar com a nova funcionária. “Para a gente é uma inovação a mulher como condutora. Sempre eram homens. Para a gente é valido. O trabalho em si é o mesmo”, diz o motorneiro.

Segundo Cristiane, os colegas de trabalho a receberam muito bem desde o início e ela nunca sofreu preconceito por ser a única mulher entre eles. O motorneiro Josué Monteiro Duarte, de 47 anos, diz que, às vezes, é preciso ajudá-la em alguma atividade extra que exija força. Mas na função de condutora, ela dá conta do recado. “O desempenho dela é normal, como se fosse o trabalho de um homem. E como é mulher, temos que tratá-la melhor que os homens”, brinca ele.

Cristiane coloca o chapéu característico dos condutores e motorneiros e abre um sorriso. Com o bonde cheio de turistas, ela segue para mais uma viagem. Melhor que trabalhar é ser reconhecida, ainda mais sendo a única mulher a exercer uma função tão rara. “Eu fiquei feliz. Espero que seja a primeira, mas não a última e nem a única. É legal, uma coisa nova, diferente”, diz confiante a condutora, antes de novamente percorrer com o bonde as ruas de Santos.


G1 – Mariane Rossi - 10/10/2013

2 comentários:

Paulo Humberto disse...

Sempre fico muito feliz, que Santos é uma das Únicas Cidades Brasileiras a preserva os Bondinhos. Sendo que outras Cidades também tinhas mais logo fracassou (caso do Rio de Janeiro e Belém-PA). E outra, além de Santos preservar os Bondes e os Trólebus, ainda em cima de todo "recheio" no transporte para Região, está ganhando o Sistema de VLT. Acredito que Santos-SP também vai ser tomar "Modelo de Transporte" (poder ser até Premiada), em VLT, Bondinhos e Trólebus. Nisso, me faz dar vontade de um dia conhecer Santos.
E outra, uma Mulher no comando dos Bondes, ficou muito legal mesmo. Isso mostra que as Mulheres também podem conquistar vagas dos Homens. E por falar nisso, em 2011 quando viajei para Lisboa(portugal), via banstante Bondes Antigos pelo Centro, e na parte Moderna da Cidade via VLTs e até os mesmos se compartilhando nas mesmas Linhas(Bonde Antigo e VLT) e tinha um Trecho que juntava até Faixa Exclusiva de ônibus com o VLT (ou seja, dar para se compartilhar os Bondinhos, VLTs, BRTs e até ônibus comum numa mesma Via).E nos VLTs, tinha até umas Maquinistas Jovens Bonitas controlando o VLT. Isso era muito bonito de ver na Cidade de Lisboa(tentei até fotografar, mais nao conseguir).

SINFERP disse...

Lisboa nunca abandonou os seus bondes. Sim, Paulo Humberto, Santos pode tornar-se um modelo, ao menos no Estado de São Paulo. E lembrar que vários prefeitos do interior estão incentivando a remoção dos trilhos... É de doer...