terça-feira, 15 de outubro de 2013

Em menos de uma semana, dois trens da CPTM descarrilam e linha 11 opera com restrições

Enquanto isso...
Em menos de uma semana, 2 trens da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) descarrilam na região metropolitana de São Paulo. No sábado (12) por volta das 10h uma composição descarrilou nas proximidades de Itaquaquecetuba. Não houve feridos.

Já na noite desta segunda-feira (14) outra composição saiu dos trilhos nas proximidades da estação Rio Grande da Serra, da Linha 10-Turquesa. A ocorrência foi por volta das 21 horas.

Nesta manhã de terça-feira, o problema persiste, e o PAESE foi acionado entre Rio Grande da Serra e Ribeirão Pires.

Problemas na Linha 11-Coral

Pelo segundo dia consecutivo, um trem da Linha 11 – Coral ficou parado com problemas, desta vez perto da estação Guaianazes, por volta das 6h20.

A CPTM diz que a interferência é pequena porque apenas os trens que saem de Estudantes para Guaianazes diminuem a velocidade para passar por uma via auxiliar. O problema não tem interferência no restante da linha, segundo a companhia.

Via Trólebus – 15/10/2013

Comentário do SINFERP

Deve ser uma “modernização” às avessas... Exceto para geração de receitas de empreiteiras e consultorias envolvidas na “modernização”, qual benefício está recebendo o usuário, hein?

6 comentários:

Anônimo disse...

Já viram o vídeo institucional da Companhia intitulado "Gente que faz a CPTM" onde um funcionário da CPTM do abrigo da Lapa faz manutençao em trem da série 7000? O detalhe e que essa série teve a manutenção terceirizada há quase seis meses. Por que não puseram um terceirizado da CAF no vídeo? Será que a Companhia tem vergonha da terceirização que ela própria fez?

SINFERP disse...

Claro que conhecemos o vídeo. O problema da CPTM, pior ainda do que o do governo do Estado de São Paulo, é imaginar que o ferroviário embarca em seus vídeos institucionais, e orientados para os próprios ferroviários. Como se os ferroviários não conhecessem a empresa. O atual corpo de gestão da CPTM conseguiu uma coisa inédita: ser unanimidade de descrédito junto a funcionários e usuários.

Anônimo disse...

E verdade, por isso que e sempre importante frisar, não basta somente a saída do tucanato do Governo do Estado, o alto e médio escalão da Companhia (cargos de confiança, diretoria, gerência e engenharia) têm que ser quase que totalmente substituído. Os caras encaram a Companhia como a "galinha dos ovos de ouro" deles, inventam editais para somente empresas e escritórios de consultorias ligadas a eles vençam a concorrência. Podem conferir, toda empreiteira que fatura licitação na CPTM tem algum diretor, gerente, engenheiro ou supervisor da Companhia.

SINFERP disse...

Não temos nenhuma dúvida quanto a isso. O que nos preocupa é não ver, da parte de nenhum outro partido político, projetos para o transporte de pessoas sobre trilhos, pois isso indicaria a existência de "cabeças" que pudessem substituir as atuais.

Anônimo disse...

E essa reestruturação da empresa poderia começar pela diminuição dos cargos de confiança na Companhia, o que tem de Assessor Técnico Executivo (I,II e III!!!) hoje na empresa não está escrito. E o aparelhamento da máquina do Estado.

SINFERP disse...

Empreguismo tucano. Troca de favores, sabe como é...