quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Trens de carga e de passageiro batem após descarrilamento, diz CPTM

Adicionar legenda
Trens colidiram próximo à Estação Franco da Rocha, na Linha 7-Rubi.  Acidente interrompeu circulação entre Franco da Rocha e Baltazar Fidélis.

Um trem de carga descarrilou e bateu em uma composição de passageiros próximo à estação Franco da Rocha, da Linha 7-Rubi, de acordo com a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). O acidente ocorreu por volta das 11h20 desta quarta-feira (18), na Grande São Paulo.

Levantamento do G1 feito em hospitais aponta 16 atendidos após o acidente. Segundo a Prefeitura, seis adultos e uma criança de 3 anos foram atendidos no Pronto Atendimento municipal de Franco da Rocha. Três adultos tiveram alta e três ainda estavam sendo medicados às 15h15. A criança bateu a cabeça e levou quatro pontos na testa. Ela permanecia em observação no horário.

Outras nove pessoas foram levadas ao Hospital Estadual de Franco da Rocha. Dois pacientes receberam alta e seis tinham estado de saúde estável e permaneciam em observação. Uma mulher foi encaminhada ao centro cirúrgico devido a uma fratura. Essa passageira que foi levada ao hospital pelo helicóptero Águia, da PM.

Inicialmente, o capitão Alípio, do Corpo de Bombeiros, tinha informação de pelo menos 13 feridos no acidente. 

Por causa do acidente, a circulação de trens permanecia interrompida entre as estações Franco da Rocha e Baltazar Fidélis desde o fim da manhã. Ônibus do Plano de Atendimento entre Empresas de Transporte em Situação de Emergência (Paese) foram colocados para cobrir o trecho e ajudar os passageiros no trecho paralisado. Não havia previsão para que a circulação de trens fosse normalizada.

Ainda segundo a CPTM, o cargueiro é operado pela MRS Logística, por concessão federal, e carregava bauxita em direção a Francisco Morato, na região metropolitana da capital, no momento do acidente.

Após descarrilar, quatro vagões do trem de carga tombaram e atingiram a lateral dos últimos carros da composição que servia à Linha 7-Rubi e seguia no sentido contrário.

A Linha 7-Rubi liga a Estação Luz, no Centro de São Paulo, à cidade de Jundiai, no interior paulista.

Investigação

O gerente de Relacionamento da CPTM, Sérgio de Carvalho Júnior, disse ao SPTV que a companhia apura as causas do acidente. Segundo ele, a distância entre os dois trens é correta no ponto onde ocorreu o descarrilamento. “O momento é de apurar as causas desta ocorrência”.

Por volta das 12h30, ele informou que equipes da CPTM já estavam no local e que a MRS Logística, proprietária do trem de carga envolvido no acidente, já havia sido acionada.


G1 – 18/09/2013

3 comentários:

Anônimo disse...

Poxa, novamente e poderia ser muito pior . Vejamos , possíveis causas ( especulando ) :
- falhas mecânicas no vagão da MRS ( truque ( estrutura ) roda e rolamento e outras. Podendo ser evitado com paradas programadas ( revisão );
- via permanente : amv com aqulhas ou jacaré excessivamente gastos , defeitos geométricos excessivos , problemas nas juntas de dilatação .
Enfim , somente trocar dormentes sem revitalizar as sub-camadas do pavimento ( lastro , sub-lastro e subleito não resolve.........

Anônimo disse...

Sei da necessidade da construção do ferroanel ,mas faço a seguinte pergunta : E a intervenção na malha da CPTM , com a atualização de sua infra-estrutura . Comprar trens novos sem estrutura adequada não adianta ......pois os problemas persistem...

SINFERP disse...

Acreditamos que ninguém discute a necessidade do ferroanel, mas enquanto isso não acontece o cuidado precisa ser redobrado. Mesmo enquanto especulações, as possíveis causas por você apontadas são, em boa medida, previsíveis, e passíveis de manutenção preventiva. Ainda bem que esses caras não operam aviões...