quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Enquanto o trem de carga descarrilava, mais uma da CPTM, e perto do acidente

Enquanto isso...
Passageiros da Linha 7-Rubi passaram por mais um aperto nesta quarta-feira (18). Por volta das 17h40, uma composição quebrou entre as estações de Vila Clarice e Perus, na Zona Oeste de São Paulo. Para sair do vagão quebrado e trocar de trem, os passageiros tiveram que improvisar uma escada como ponte.

Pela manhã um trem de carga e de passageiros bateram após descarrilamento nesta mesma linha, deixando 16 pessoas feridas.

A leitora afirma embarcou na Luz, no sentido de Francisco Morato, e que demorou cerca de 20 minutos para o maquinista informar aos usuários da linha que o trem não prosseguiria viagem.

“Uma senhora passou mal. Tentaram falar com maquinista pelo sistema de som do trem sobre isso. Foi quando o maquinista orientou que chegaria outro trem para fazer a troca. O problema é que veio um de outro modelo e o local que para a porta era diferente. No meu vagão, um funcionário veio com uma escada, entregou para os passageiros e ficou na parte de baixo.  Foram os próprios passageiros que auxiliaram a passagem. Os homens mais fortes conseguiram pular primeiro sozinhos e depois colocaram a escada para passar idosos, mulheres e crianças. A transferência durou 40 minutos”, conta.

Nota da Redação: em nota, a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) afirma que "por volta das 16h35 uma composição que circulava entre as estações Vila Aurora e Perus, na Linha 7-Rubi ( Luz – Francisco Morato) foi danificada por objetos colocados na via por vândalos para impedir a passagem dos trens. Os usuários que estavam na composição avariada pelo ato de vandalismo tiveram que se transferir para outra composição, destacada para dar continuidade à viagem. A operação de transferência dos usuários entre as composições foi realizada com escadas, sob orientação e apoio de agentes de segurança". O órgão ainda ressalta que "a circulação da Linha 7-Rubi estava alterada desde às 11h20 de ontem devido ao descarrilamento de um trem de carga da empresa MRS Logística, próximo à estação Franco da Rocha".

G1 – Jéssica Ferreira – 18/09/2013

Comentário do SINFERP


Vândalos, é claro. Quando não são os vândalos são os sabotadores. De qualquer forma, sempre um dos dois. Não teriam eles, juntos, descarrilado o trem de carga? Ah, não. Como o trem de carga está sob jurisdição federal, melhor atribuir a "culpa" ao governo federal. "Culpa" atribuída a vândalos, sabotadores e ferroviários apenas quando de falhas e acidentes na CPTM.

Nenhum comentário: