domingo, 14 de julho de 2013

Siemens delata cartel em licitações do Metrô e da CPTM em SP

Em busca de anistia, Siemens aponta ao governo fraudes das quais participou.

Multinacional admite ter atuado no esquema ao lado de outras gigantes do setor com negócios no país.

A multinacional alemã Siemens delatou às autoridades antitruste brasileiras a existência de um cartel -- do qual fazia parte -- em licitações para compra de equipamento ferroviário, além de construção e manutenção de linhas de trens e metrô em São Paulo e no Distrito Federal.

Gigante da engenharia, a empresa já foi condenada em outros países por conduta contra a livre concorrência.

Folha apurou que o esquema delatado pela companhia envolve subsidiárias de multinacionais como a francesa Alstom, a canadense Bombardier, a espanhola CAF e a japonesa Mitsui.

Essas empresas e a Siemens são as principais candidatas a disputar o megaprojeto federal do trem-bala que ligará Rio e São Paulo. O leilão deve ser no mês que vem.

Combinações ilícitas entre empresas podem resultar em contratações com preços superiores (entre 10% e 20%, segundo estimativas) aos praticados caso elas concorressem normalmente.

No início do mês, a Superintendência-Geral do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) realizou busca e apreensão nas sedes das companhias delatadas. A Operação Linha Cruzada executou mandados judiciais em São Paulo, Diadema, Hortolândia e Brasília.

Segundo as denúncias, o cartel atuou em ao menos seis licitações. Mas ainda não se sabe ao certo o tamanho real, alcance, período em que atuou e o prejuízo causado.

Ao entregar o esquema, a Siemens assinou um acordo de leniência, que pode garantir à companhia e a seus executivos isenção caso o cartel seja confirmado e condenado.

A imunidade administrativa e criminal integral é assegurada quando um participante do esquema --antes que o governo tenha iniciado apuração-- denuncia o cartel, suspende a prática e coopera com as investigações.

No caso de condenação, o cartel está sujeito a multa que pode chegar a 20% do faturamento bruto da empresa no ano anterior à abertura de processo pelo Cade.

No final da década de 90, houve uma troca no comando mundial da Siemens depois de escândalos de pagamento de propina em vários países. A empresa foi punida no exterior por formação de cartel.

A análise do material apreendido levará até três meses. Confirmados os indícios de cartelização, o Cade abrirá processo contra as envolvidas. O conluio, segundo a apuração, inclui outras sete empresas: TTrans, Tejofran, MGE, TCBR Tecnologia, Temoinsa, Iesa e Serveng-Civilsan.

Folha de São Paulo – Catia Seabra, Juliana Sofia e Dimmi Amora - 14/07/2013


Comentário do SINFERP

Mas que maldade da Siemens.  As empresas apontadas como fazendo parte do CONLUIO - ou boa parte delas - apenas por acaso estão sempre presentes na CPTM, em especial nos serviços que a empresa terceiriza. Será que diante desta "novidade", o Ministério Público de São Paulo e as "oposições" da Assembleia Legislativa irão ao menos esboçar alguma atitude? Afinal, já estamos cansados de dizer que há algo de podre no reino da CPTM 

5 comentários:

Anônimo disse...

a siemens só jogou m**da no ventilador porque nao conseguiu pegar o contrato de manutençao do 3000. entrou com recurso na CPTM, entrou com recurso na justiça comum e nada. está vendo todo o favorecimento do governo estadual para com a CAF e a tejofran (ligadas a pessoas do PSDB), entao agora se posa de boazinha.

Anônimo disse...

SINFERP, o MPE já sabe disso há muuuuuuuuuuuuuito tempo. nao faz nada porque nao quer. vamos esperar que a PF, por ser do partido da oposiçao em SP, pelo menos faça alguma coisa. estranho q nao vejo muito destaque na midia. como sempre, blindando os tucanos.

SINFERP disse...

Sabemos disso tudo, Anônimo. Nós mesmo já fornecemos informações, a pedido MP, mas não temos a menor ideia do que está fazendo com elas. Quem sabe se agora veja-se, digamos, impelido a fazer alguma coisa. As "oposições", talvez?

Anônimo disse...

NAO QUERO SER DISCRENTE, MAS ENQUANTO A CAF TIVER TRANSITO LIVRE EM SP, OU SEJA ENQUANTO O PSDB FOR GOVERNO, VAI SER DIFICIL ESTA INVESTIGAÇÃO PROSPERAR. MAS A ESPERANÇA É ÚLTIMA QUE MORRE.

SINFERP disse...

Bem, Anônimo, pode ser a última que morre, mas morre. Rsrsrsr