segunda-feira, 8 de julho de 2013

São Paulo pede à União R$ 17,3 bilhões para mobilidade urbana

BRASÍLIA  -  A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, disse há pouco que o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), pediu R$ 10,8 bilhões para a expansão do metrô, reforma de 30 estações e dois corredores de ônibus (na Grande São Paulo e em Campinas). O prefeito Fernando Haddad (PT) solicitou outros R$ 6,5 bilhões para a construção de 150 km de corredores de ônibus. Juntos, eles querem, portanto, R$ 17,3 bilhões para obras de mobilidade urbana, ou cerca de 35% dos recursos prometidos pelo governo para esse tipo de obra.
Ambos os pedidos foram feitos em reunião realizada nesta manhã na sede do Planejamento, em Brasília, da qual também participou o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro.
Segundo a ministra, ao longo da semana o governo receberá todos os pedidos, de outros Estados e municípios, para depois decidir para onde serão destinados os recursos de R$ 50 bilhões para projetos de mobilidade urbana prometidos pela presidente Dilma Rousseff há duas semanas.
Na reunião, segundo a ministra, também foi discutida a aceleração de obras já em andamento e início de outras. Questionada sobre de onde virão os recursos para essas obras num momento em que o governo pretende realizar mais cortes de gastos para cumprir um superávit primário de 2,3% do PIB, Miriam apenas disse. “Estamos fazendo as contas”. Segunda ela, o governo deve informar nas próximas duas semanas o destino de pelo menos parte dos R$ 50 bilhões.
Ainda nesta segunda-feira Miriam recebe o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, e o governador Sergio Cabral, ambos do PMDB.
No fim da tarde, a reunião será com o prefeito de Salvador, Antonio Carlos Magalhães Neto (DEM), e o governador da Bahia, Jacques Wagner (PT).

Valor Econômico – Lucas Marchesini, Rafael Bitencourt e Edna Simão - 08/07/2013

Nenhum comentário: