quinta-feira, 11 de julho de 2013

Campanha “Osasco Trem Jeito” quer colocar a cidade nos trilhos

Os VLTs são trens de superfície comuns na Europa. Ideia já foi defendida pelo prefeito Jorge Lapas.

O vereador de Osasco, Alex da Academia (PDT), afirmou que pretende colocar nas ruas da cidade no próximo semestre a campanha “Osasco Trem Jeito”, para tentar acelerar o processo de instalação de VLTs (Veículos Leves sobre Trilhos) no município. O prefeito de Osasco, Jorge Lapas (PT), tem se mostrado favorável ao uso deste tipo de transporte e já encomendou estudos para avaliar a possibilidade de instalação do VLT. O VLT já é usado, principalmente, em países europeus, e é defendido por especialistas como principal saída para desafogar o trânsito nas grandes cidades, além de oferecer locomoção mais rápida e de maior qualidade aos usuários de transporte público. Estima-se que este tipo de veículo pode atender entre 15 a 35 mil passageiros por hora.

Defensor da ideia, Alex da Academia mantém conversas com o Rogério Centofanti, consultor do Sinferp (Sindicato dos Ferroviários) e idealizador do site “São Paulo Trem Jeito” de quem ganhou o apoio para dar início a campanha similar no município, batizada de “Osasco Trem Jeito”. 

Segundo Alex, a campanha terá inicio na cidade no segundo semestre de 2013 e contará com a elaboração de uma logomarca e de um selo publicitário, distribuição de material informativo, divulgação nas redes sociais e realização de palestras. 

De acordo com o vereador, o intuito da campanha é ganhar o apoio da opinião pública e garantir a instalação de VLTs em Osasco. Inicialmente, o vereador acredita que o transporte poderia resolver os problemas de mobilidade urbana na cidade, com a criação de uma linha que sairia da Zona Sul, na avenida Hirant Sanazar, passando pelo Centro e chegando a avenida Visconde de Nova Granada. 

Embora a prefeitura de Osasco já tenha encomendando estudos a respeito dos VLTs, ainda não foi divulgado se a cidade contará, efetivamente, com este tipo de transporte, nem o custo estimado para sua instalação. Segundo o site “São Paulo Trem Jeito”, a prefeitura do Rio de Janeiro orçou em torno de R$40 milhões por quilômetro de linha os gastos com a implantação do sistema, o que incluiria a construção e via permanente para passagem do VLT, rede aérea e a construção das estações, dentre outras coisas. 

WebDiário – Leonardo Abrantes - 10/07/2013

8 comentários:

Juca Pastori disse...

Parabéns ao Rogério, tomara q dê certo, pois tenho certeza de q Osasco se desenvolverá muito com um transporte eficiente.

Aproveite e convença o prefeito, q é do mesmo partido do Haddad, a conversar com o correligionário e implantarem aquela ideia de um VLT entre Osasco e São Paulo pelo linhão da Eletropaulo. Ou q pelo menos ele convença Haddad a agir com mais lógica e menos lobby.

SINFERP disse...

Bom dia, Juca. Essa história está sendo produto de felizes coincidências. O Sinferp defende VLT faz tempo. O vereador Alex esteve conosco discutindo transportes e mobilidade, apreciou nossas teses e ficou apaixonado pelo VLT. A margem disso, o prefeito Lapas devia ter em mente a implantação do VLT, e quando do anúncio desse desejo, a realidade tornou-se mais próxima. Vamos ajudar o vereador, o prefeito, a cidade de Osasco, e quem mais acreditar em transporte de pessoas sobre trilhos. Se acontecer em uma cidade, certamente irá irradiar-se para outras. Quem sabe São Paulo, não é?

Anônimo disse...

meu caro amigo juca, nao existe a menor possibilidade de se utilizar o espaço abaixo das linhas de transmissao como linha de VLT ou qualquer coisa que seja. isso nao é possivel, há lei federal que impede isso. o mais ideal seria utilizar-se de grandes vias ja existentes, como marginais e rodovias. o problema que alem do grande lobby das montadoras, há tambem a opiniao publica. todo mundo clama por transporte publico, mas a real é que o brasileiro é um povo muito ligado ao carro particular, tirar espaço dos carros nas ruas para dar vez a onibus, VLTs ou que seja, acabará sendo uma medida muito impopular, e politicos odeiam medidas impopulares.

SINFERP disse...

Caro Anônimo, em marginais e rodovias o VLT não cumpre a sua verdadeira utilidade: transportar pessoas. Lugar certo para ele são as grandes avenidas.

Anônimo disse...

porque nao VLT, se onibus intermunicipais já fazem hoje em dia estes percussos, com a diferença que eles pegam todo o congestionamento de caminhoes e carros particulares? vide exemplo de guarulhos, onde maior parte do deslocamento ate a capital se dá pela via dutra. um VLT, ou ate mesmo q seja um trem ou metrô utilizando-se da via dutra e posteriormente da marginal para ligar essas duas cidades, seria muito mais interessante, barato e rapido. e nao só a dutra, mas a raposo tavares, a anhaguera, avenida do estado, poderiam ser aproveitadas para o transporte coletivo segregado, garantindo maior fluidez e todos os beneficios possiveis. ate hj nao entendi como nenhuma administraçao nao pensou nisso.

SINFERP disse...

Sem dúvida, o VLT iria muito bem na Raposo Tavares, na Regis Bittencourt e na Anhanguera, no transporte de pessoas entre os centros urbanos próximos à capital. Em via segregada seria imbatível. Guarulhos estaria muito bem servida por um trem (maior capacidade), cuja oportunidade está dada, agora, pelo trem para o aeroporto. Uma campanha "Guarulhos Trem Jeito" iria muito bem.

Anônimo disse...

mas convenhamos, o tal "expresso aeroporto" leva o nada ao lugar nenhum. utilizando-se a dutra e a marginal para uma linha de trem, interligando guarulhos a estaçao tiete, e ligando os bairros de guarulhos, inclusive o aeroporto, ate esta linha atraves de VLT ou ate mesmo onibus, ficaria show de bola. é mais ou menos o q se faz hoje em dia, só q atraves de onibus intermunicipais e ate microonibus. ficaria muito mais interessante, atrativo, viavel e ate mesmo mais barato e rapido sua construçao do que o tal "expresso aeroporto".

SINFERP disse...

O tal Expresso Aeroporto faz parte do pacote dos tais jogos de 2014. Guarulhos vai perder a oportunidade de ter um bom transporte sobre trilhos servindo a cidade, e sua ligação com a capital. VLTs interligados com uma linha de trem metropolitano, e Guarulhos seria uma cidade bem servida de transporte. Governos não querem nem mesmo falar em VLT. Imagine um do centro de Sampa indo para Congonhas, pela 23 de Maio e depois Rubem Berta. Não! Governo do Estado vai de monotrilho, e prefeitura de buzão. O prefeito de Guarulhos havia cogitado um VLT, mas parece que engavetou e ideia.