terça-feira, 19 de março de 2013

CPTM republicará edital dos 65 novos trens nesta semana


Segundo o secretário de Transportes Metropolitanos de São Paulo, Jurandir Fernandes, a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) publicará o novo edital para a compra de 65 trens até a próxima sexta-feira (22/03).  A licitação que era nacional passará a ser internacional após a CPTM receber uma única proposta da indústria brasileira, com valor acima do previsto no edital anterior.

A reformulação do edital foi realizada após quatro adiamentos de entrega de propostas, onde apenas um consórcio apresentou proposta, o Frota CPTM (CAF Brasil Indústria e Comércio e Alstom Brasil Energia e Transporte), que foi desclassificado por apresentar orçamento acima do estimado pelo governo, que é de R$ 23,7 milhões por trem (R$ 2,96 milhões por carro). Os 65 trens serão compostos por oito carros, totalizando 520 carros. Essa é a maior encomenda de trens elétricos do país.

A licitação mudou seu formato após sofrer uma pressão da indústria, através da Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (Abifer), para que os trens fossem fabricados no Brasil. O fato da indústria nacional apresentar somente uma proposta e acima do valor de referência não foi bem recebida pelo Estado e incomodou membros do Governo. No inicio deste mês, Jurandir Fernandes definiu a maneira como a indústria fez a proposta como “belicosa, jocosa e estranha”.

Para acelerar o novo processo, o governo fez uma consulta ao mercado e seis empresas estrangeiras, entre elas a CAF da Espanha e a Alstom francesa, demonstraram interesse na nova licitação. O governo espera, antecipando os pagamentos aos fornecedores, que parte dos trens seja entregue ainda no governo Alckmin, que encerra no final de 2014.

O presidente da Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (Abifer), Vicente Abate, disse que a entidade respeita o direito da CPTM de buscar o melhor serviço com melhor preço, assim como o dos fabricantes de preservar seus investimentos. Abate destaca que deve ser levada em conta a igualdade de condições entre as indústrias brasileiras e internacionais. O presidente da entidade citou que poderia ser levado em consideração o decreto Nº 7.812, que prestigia a indústria nacional com restabelecimento de isonomia tributária, dando uma margem de preferência de 20% na aquisição de material da indústria nacional.

Revista Ferroviária – 19/03/2013

Comentário do SINFERP

Mas que mico pagou o secretário dos Transportes Metropolitanos, depois de ter afirmado, em reunião da Frente Parlamentar em Defesa da Malha Ferroviária Paulista, na Assembleia Legislativa de São Paulo, que não compraria trens da China para prestigiar a indústria transnacional instalada no Brasil. Como fica, agora, se os chineses participarem da licitação dos 65 novos trens para a CPTM? Quer dizer, então, que apenas a CAF participou, é? Puxa... Quanta coincidência. Nem Siemens e nem Alstom? CPTM para uma, e Metrô para outras.

8 comentários:

Anônimo disse...

só quero saber aonde vao colocar tanto trem ....

mais uma vez assistimos os desmandos do dinheiro publico em prol do discurso eleitoreiro.

SINFERP disse...

Boa pergunta, Anônimo, boa pergunta... Onde vão colocar todos esses trens... O pior é que, se colocarem todos para rodar, o sistema não dá conta.

Anônimo disse...

veja bem: a rede aerea e a subestaçao nao está preparada para uma demanda maior de energia q estes trens mt provavelemnte irão possuir.mesmo q estivessem, a sinalizaçao precisaria ser modificada para permitir um numero maior de trens, o mesmo vale para a via permanente (q tem trechos q ainda possuem a marca da EFS). os patios e oficinas precisariam ser melhorados , e nao apenas em tamanho mas em estrutura de trabalho. presidente altino, que é a melhor oficina da CPTM, já está defasada. ela foi projetada pro 5000, sendo que o 5000 é minoria hoje e futuramente, entao teria q ser remodelada pros CAF. qual estrutura temos pro CAF, como troca de parabrisa e manutençao de HVAC, assim como laboratoiros de eletronica de potencia e micro-eletronica ? lapa e engº SP a coisa é mais precaria ainda. a CAF, diferentemente da siemens, nao vai botar 1 centavo em infra-estrutura nas dependencias da CPTM, sendo q ela q vai tomar da manutençao de pres. altino (com exceçao do 5000 e das locomotivas).

infeilzmente, é o estado mais uma vez com seu mau planejamento de olho nas eleiçoes. pensei q tivessem aprendido um pouquinho com as constantes falhas no sistema e as paradas de domingo por "modernizaçao" na hora deles fazerem novos planejamentos, mas parece q les continuam dando murro em ponta de faca.

SINFERP disse...

Você tem razão em tudo o que diz. Ponto por ponto. O governo é surdo, e prefere "tentar" desmontar o SINFERP, que diz isso tudo que você está dizendo, do que resolver esses problemas todos na CPTM. Vai tocando, de falha em falha, e encontrando "culpados" para cobrir o sol com peneira: ferroviários, vândalos, sabotadores, hackers, crakers e até mesmo usuários. Estão usando e abusando das chuvas, mas logo mais elas terminam,e vamos ver como explicam as novas falhas, não é?

Anônimo disse...

Para a CPTM só sobra CAF mesmo, na boa não pode ser possível que os trens chineses sejam tão ruins quanto e tenha uma assistência técnica tão precária quanto esses da CAF. Fico imaginando quando os trens 7000, 7500 e 8000 começarem a frequentar serviços de pórtico, a manutenção vai ser tão difícil e cara que não será surpresa a CAF simplesmente abandonar o contrato de manutenção como ela fez no México.

SINFERP disse...

Ah, certamente não podem ser pior do que os da CAF. Não é de duvidar que abandone o contrato quando deixar de ser interessante, para ela.

Anônimo disse...

eu já acho o contrario, os serviços mais custosos não só para a CAF quanto para o consorcio TMT, a CPTM vai dar um jeito de arcar. nao se enganem, nenhuma dessas empresas entra em contratos de manutençao para perder. mesmo q elas prestem o pior serviço do mundo, a CPTM vai mante-los, porque o interesse desse contrato não é economia nem melhora dos erviços, mas sim encher o bolso de alguem. porque sinceramente, do ponto de vista tecnico e economico, terceirizar a manutençao a CPTM nao precisa.

SINFERP disse...

A rigor, Anônimo, a CPTM não precisa terceirizar nada. A terceirização é apenas um negócio, que rende dividendos, e nada mais.