quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

VLT de Natal (RN) impulsiona desenvolvimento


Com a proximidade da chegada do Veículo Leve Sobre Trilhos – VLT, estimada para meados de 2014, empreendimentos de diversos segmentos estão surgindo nas proximidades da linha férrea, apostando no desenvolvimento do modal ferroviário para expansão da oferta de serviços.

O transporte ferroviário está ganhando visibilidade e maior grau de importância, tornando-se um dos atrativos para os clientes dos novos empreendimentos comerciais e residenciais, que enxergam no VLT um novo modelo de transporte para a região metropolitana, que vem se expandindo a uma enorme velocidade. Entretanto, a mobilidade urbana não está acompanhando este desenvolvimento. A crescente frota de veículos particulares que inundam as vias diariamente gera inúmeros gargalos no transito da cidade, dificultando o deslocamento da população.

No município de Extremoz, por exemplo, distante 16 km do centro de Natal, uma série de novos empreendimentos está em construção nas imediações da estação ferroviária, onde a proximidade ao ponto de embarque e desembarque do transporte sobre trilhos indica a maior valorização dos imóveis.

De acordo com profissionais do ramo imobiliário, o trem é o meio de transporte mais barato da região metropolitana de Natal, além de ser prático e rápido, pois não enfrenta congestionamentos.

Para o Superintendente de Trens Urbanos de Natal, o engenheiro, João Maria Cavalcanti a valorização das áreas próximas às estações ferroviárias faz parte de uma tendência mundial, onde o caos urbano, provocado pelos grandes congestionamentos, os altos preços dos combustíveis e a busca por uma melhor qualidade de vida, contribuem diretamente para que as pessoas busquem moradias em locais de fácil acesso ao transporte público e infraestrutura.

A melhoria da qualidade do transporte ferroviário, proporcionada pelos investimentos realizados pela CBTU no último ano, com a aquisição de 12 composições de VLT, 02 locomotivas, trilhos e dormentes para a modernização de sua via permanente, além de dar mais credibilidade ao futuro do sistema de trens urbanos da capital, atrai novos usuários e promove o desenvolvimento das comunidades lindeiras, que vivem às margens da ferrovia, afirma João Maria.

CBTU – 27/02/2013

6 comentários:

Carlos disse...

Enquanto várias cidades luitam contra o VLT, algumas com um pouco mais de juizo o veem coma uma oportunidade de progrsso.
Talvez ainda exista esperança nesse Brasil.

SINFERP disse...

Não estamos vendo esperanças é em São Paulo. rsrsrsr

Carlos disse...

Bora pra Natal! Hehehe

SINFERP disse...

Ah, Carlos, o SINFERP se mandar para Natal seria o sonho de consumo de gestores da CPTM, e do governo do Estado de São Paulo. rsrsrsr

José Weliton Barbosa da Silva disse...

Aqui em Natal-RN, nada de novo amigos, a CBTU vai tirar os trens dos anos 70 e 80 puchado a locomotiva a Diesel de circulação e vão colocar esse tal de VLT, que é mais leve e novos. Não Vai criar mobilidade nenhuma na capital. As estações de desembarque serão as mesmas com uma rápida pintura ali e pronto. As passagens de nível, coitado dos VLT's. vão ser as mesmas de hoje. Praticamente 1 acidente por mês....

SINFERP disse...

Ai é triste, José Weliton...