sábado, 16 de fevereiro de 2013

“Não havia funcionários da CPTM para conter o tumulto causado pela chuva”


Temporal em São Paulo causou apagões, desmaios em estação de trem e acidente na rua.
O temporal que atingiu a cidade de São Paulo na noite de quinta-feira (14) surpreendeu os paulistanos, que amanheceram contando os prejuízos causados por ele. Enquanto 50 mil pessoas ficaram sem energia elétrica, outras perderam o sinal de internet, tiveram os carros alagados ou sofreram pequenos acidentes.
O maior volume de queixas, no entanto, é contra a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), que estaria sem funcionários suficientes para conter o tumulto que tomou conta da estação Pinheiros, na Linha 4-Amarela, responsável pela conexão do trem com o metrô na zona oeste de São Paulo.
É o que conta o analista de comunicação, Rafael Ernandi. “Nunca vi uma situação dessas, com pessoas desmaiando, gritaria, desespero.” Depois de desistir de chegar em casa pela estação Barra Funda, ele tentou a estação Pinheiros, quando “a coisa simplesmente parou. Não cabia mais gente em lugar algum”.
“De repente começou um tumulto, correria, gente gritando e aparentemente não era nada. Pessoas começavam a escalar as paredes e ficavam penduradas tentando fugir do tumulto descontrolado. Vi muitas pessoas desmaiando, uma delas atrás de mim.”
Ele diz que gritou por espaço, “mas era impossível porque não tinha nenhum segurança da CPTM tentando ajudar, controlar o problema. O trajeto que eu faço em 50 minutos, ontem fiz em 3h45”.
A falta de funcionários da CPTM e de orientação pelos autos falantes também incomodou a assessora de imprensa Sarah Moraes. “Eu procurei e não havia ninguém para orientar. Eu vi quatro mulheres serem carregadas pelos passageiros, um deles quase derrubou a mulher. Foi um caos.” Ela garante que ficou 20 minutos parada sobre a passarela que liga o trem e o metrô. “Desisti. Eu decidi voltar uma estação e pegar um ônibus.”
A amiga de Sarah Alê Barbosa (31) diz que viu apenas um segurança da CPTM tentando orientar os passageiros. “Mas sem nenhum preparo de áudio. Ele gritou para orientar, mas poucos conseguiram ouvir.”
A CPTM explica que o temporal de ontem “provocou a interrupção da circulação de trens entre as estações Palmeiras-Barra Funda e Lapa”. Teria sido durante a alteração na circulação dos trens que usuários passaram a utilizar a Linha 4-Amarela como alternativa. “Com isso, houve excesso de usuários na passarela de transferência da estação Pinheiros, sendo registrados até quatro casos de mal súbito e uma queda acidental, atendidos pelas equipes da estação. Preventivamente, a CPTM acionou também o Corpo de Bombeiros e a Policia Militar.”
A assessoria da companhia nega ausência de informações pelos sistemas de som, e diz que as informações foram prestadas também pelas redes sociais e notas encaminhadas aos veículos de comunicação.

Último Segundo – Wanderley Preite Sobrinho  - 15/02/2013

Comentário do SINFERP

Pois é. Agora, além de tudo, os usuários são mentirosos. Como a CPTM é injustiçada... "Preventivamente", porém, acionou o Corpo de Bombeiros e a Política Militar. Não é necessário ser gênio para saber o motivo: descer o cacete nos usuários em caso de eventual tumulto. 

2 comentários:

Anônimo disse...

Descordo do sindicato, pois são os primeiros a abandonar os funcionários em situação de conflito com a empresa, e baixar o cacete em usuários , não é assim que se fala acionar forças de apoio pois estão ai pra isso mesmo, tanto nós que somos da segurança ajudamos e muito a todos sempre, más sabemos que se tem 10000 para ajudar ninguém enxerga 1, para falar mal enxergam milhões.

SINFERP disse...

Caro Anônimo. Se as pessoas não enxergam o que há de bom, mas apenas o que há de ruim, é porque o ruim se sobrepõe ao bom, ao menos em termos de visibilidade. Bombeiros, por exemplo, têm respeito e simpatia da população. No caso da CPTM, seguranças da empresa e terceirizados são orientados para proteção do patrimônio, e não dos usuários, infelizmente.