quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Monotrilho "Made in Rio"


No dia 28, o grupo MPE, em sociedade com um grupo da Malásia, inaugura em Santa Cruz, no Rio, a fábrica que produzirá os trens que circularão em dois monotrilhos de Manaus e no que fará a ligação entre o aeroporto de Congonhas e o bairro do Morumbi, em São Paulo.

O monotrilho é mais estreito que os trens convencionais de superfície ou do metrô. Geralmente circula em estruturas elevadas. Por não exigirem tanto espaço, essas estruturas muitas vezes podem ser assentadas sobre vias já existentes, evitando-se desapropriações.

O Globo – 04/02/2013

2 comentários:

Leoni disse...

A largura das carruagens dos monotrilhos projetados para o Brasil não são do padrão europeu, ~ 2,95m.
A capacidade do Monotrilho previsto para a linha 15-Prata, que é considerado o maior do mundo para carruagens com largura de 3,15 m (standard), e comprimento da composição total de ~90 m e com 7 vagões, é de ~1000 pessoas, concorrendo com o BRT e o VLT são considerados de média demanda, contra para a mesma largura, porém com comprimento de ~132 m e com 6 vagões é de ~2000 pessoas para o Metrô, e com comprimento de ~170 m e com 8 vagões é de ~2500 pessoas para os Trens Suburbanos, significando com isto que a capacidade do metrô e dos trens suburbanos são no mínimo o dobro do monotrilho, trafegando na mesma frequência, sendo considerados de alta demanda.

Comparativos: A capacidade é expressa em número de passageiros por hora por sentido (p/h/s), assim BRT, VLT, Monotrilho – 4000 a 25000 p/h/s, enquanto Metrô, Trens suburbanos – 20000 a 60000 p/h/s.

Estão previstas plataformas centrais para saídas de emergência em todo seu trajeto, obrigatórias para esta função, não deslumbrei em nenhuma das postagens de pesquisei, porém constam na especificação que iram existir, além das escadas retráteis!!! (de uso duvidoso).

A largura padronizada dos carros para os três são de 3,15 m (standard). Não confundir com os trens suburbanos espanhóis da CPTM-SP e alguns da SUPERVIA-RJ de 2,95 m que possuem uma plataforma (gambiarra) em frente ás portas para compensar o vão.

SINFERP disse...

Bela contribuição, Leoni. Gratos. Apenas um comentário, se nos permite: a gambiarra a que se refere são os estribos colocados nos trens da CPTM para reduzir os perigosos vãos entre plataformas e portas dos trens. Não são apenas nos trens espanhóis que estão presentes, mas em todas as séries de trens da CPTM.