domingo, 17 de fevereiro de 2013

Entulhos obstruem trilhos no Centro da capital (AL) e podem prejudicar VLT


Slum irá intensificar fiscalizações para identificar e advertir quem está realizando o despejo
O acúmulo de entulhos jogados nos trilhos, localizados na Avenida Buarque de Macedo, no Centro de Maceió, é constante e está saindo do controle da prefeitura.

Por isso, a partir de segunda-feira (18), a Superintendência Municipal de Limpeza Urbana (Slum) irá intensificar as fiscalizações no local para evitar ter que realizar limpeza por lá toda semana.

De acordo com o coordenador de fiscalização da Slum, Carlos Tavares, no dia 1º de janeiro foi realizada a retirada dos entulhos, entretanto, outra limpeza foi realizada na semana anterior ao Carnaval porque o lixo já se amontoava novamente. 

“Em decorrência dessa constante, nós vamos intensificar as fiscalizações para identificar e advertir quem está descartando lixo de forma irregular”, observou.

O superintendente da Slum, Gustavo Novaes, afirmou que está sendo feita uma ação permanente na região, mas a situação ali está fora do controle. “Está havendo um descarte permanente de materiais”, apontou.

Para o empresário Eliandro Remigio, que possui uma loja de roupas na Avenida Buarque de Macedo, os entulhos são jogados durante a noite, em horários em que não há muitas pessoas transitando. “Fizeram uma limpeza e melhorou muito. Tem que fiscalizar mesmo para que o povo não jogue o lixo aí”, afirmou.

Já o artesão Adail Amorim, que também trabalha na Buarque de Macedo, disse que os entulhos estão no trilho há muito tempo, mas falta ação do poder público. “Não existe fiscalização, cada um faz o que quer. Isso prejudica todos nós”, alegou. 

VLT nos entulhos

O acúmulo de lixo nos trilhos ferroviários pode prejudicar o projeto da circulação do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) no local. A assessoria de imprensa da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) de Maceió afirmou que existe um projeto para que o VLT passe pela Avenida Buarque de Macedo. O projeto ainda não tem previsão de implantação, pois depende de recursos federais. Os trilhos do local pertencem a TransNordestina.  

Também é comum encontrar diversos terrenos baldios que servem de depósito irregular de lixo em Maceió. O coordenador de fiscalização da Slum, Carlos Tavares, contou que quando esse terrenos são descobertos, a Slum dá um prazo de 30 dias para que o proprietário faça a limpeza. “Caso isto não ocorra, o proprietário pode receber um auto de infração e ficar com a dívida ativa na prefeitura”, explicou.

Tribuna Hoje – 15/02/2013

Comentário do SINFERP

Ah, irá advertir? Puxa. Que ação incisiva...

Nenhum comentário: