quarta-feira, 4 de julho de 2012

Trensurb inaugura o trajeto de Novo Hamburgo (RS) à Capital


A Trensurb inaugura duas novas estações de trem, com o trajeto da Linha 1 ampliado até Novo Hamburgo. A partir de hoje, o trem que parte da Capital ganha uma parada na estação Rio dos Sinos, em São Leopoldo, e chega até a estação Santo Afonso, primeira da empresa em Novo Hamburgo. O trajeto total leva 46 minutos e prevê um aumento de seis mil usuários diários no sistema metroviário. Estão previstas ainda mais três novas estações, a Industrial, a Fenac e a Novo Hamburgo, que devem estar prontas até o final do ano. 

Essa primeira etapa da expansão, estende a linha por mais 4,9 quilômetros, chegando a um total de 38,7km. A estrutura permitirá também desafogar a BR-116 nos horários de pico. O acesso à linha terá a tarifa de R$ 1,70. Na tarde de ontem, a empresa realizou uma viagem inaugural para a imprensa. 

“Esta obra é muito mais do que apenas transporte, pois ela integra diversas questões sociais, urbanas e de mobilidade”, acredita o diretor-presidente da Trensurb, Humberto Kasper. O investimento total dos 9,3 quilômetros, que compreendem as cinco novas estações, está orçado em R$ 938,2 milhões, repassados pelo governo federal. Segundo ele, a obra, que teve início em 2009, passou por um período de experimentação, desde 22 de maio, no qual ajustes foram feitos. Os técnicos observaram a efetividade da sinalização do trecho e a capacidade da subestação de energia de Sapucaia do Sul de atender às novas estações, pois ela opera hoje em seu limite.

Para suprir o número maior de passageiros que utilizarão o transporte, Kasper diz que até 2014 a empresa estará operando com um maior contingente de trens (hoje são 25). Na quarta-feira passada, a presidente Dilma Rousseff anunciou um repasse de R$ 260 milhões para a compra de novas composições para a Trensurb. A verba será disponibilizada através do PAC Equipamentos – Programa de Compras Governamentais. O diretor-presidente afirma que a empresa já trabalha na elaboração das especificações técnicas para que o processo licitatório possa ser iniciado ainda neste ano. 

De acordo com secretário-executivo do Ministério das Cidades, Alexandre Macedo, a qualidade do transporte de uma cidade reflete na qualidade de vida do trabalhador. Assim, a entrega da continuidade do trem proporciona para a população um transporte limpo, organizado e confortável. “O trabalho do ministério é diminuir o tempo e a distância. Com as novas estações, o tempo do percurso entre a Capital e a Santo Afonso será de 46 minutos, a metade do tempo de deslocamento com a utilização do carro”, relata. Macedo lembra também da importante diminuição no número de automóveis da BR-116. 

A demanda crescente, que migrará do sistema viário para o metroviário, motivou também a ampliação do sistema de carrossel nos horários de pico, o que significa que o tempo de espera entre um veículo e outro irá diminuir. Anteriormente, a Trensurb contava com dois carrosséis nos horários de pico: um entre as estações Mercado e São Leopoldo, e o outro entre a Mercado e a Sapucaia. O novo serviço funcionará, no horário de pico da manhã, com um carrossel entre as estações Mercado e Santo Afonso e, nos momentos de maior fluxo, um terceiro carrossel, com intervalo de apenas três minutos, entre as estações Mercado e Mathias Velho. Dessa forma, é possível adequar o intervalo de trens conforme a demanda, fazendo com que os trechos com maior número de usuários tenham mais veículos à disposição. 

O município de São Leopoldo, que ganhou a Rio dos Sinos, também passou por diversas obras de apoio para a construção, com a reurbanização dos entornos da estação. “Um dos aspectos mais importantes da nova estrutura foi a revitalização de uma região que estava abandonada”, ressalta Ary Vanazzi, prefeito de São Leopoldo. Na cidade, 730 famílias foram reassentadas em novos loteamentos. Além disso, a construção de uma ponte rodoviária sobre o Rio dos Sinos ao longo do prolongamento da avenida Mauá prevê uma melhora no trânsito da região. 

Para Novo Hamburgo, a nova estação e, em breve, as outras três, representam o fim de uma longa espera. “Faz 27 anos que o primeiro trecho do metrô começou a operar na Capital, e nós esperamos por todo esse tempo. No entanto, hoje ele chega com todo o aporte tecnológico necessário, em uma época em que as obras são integradas e com tarifas adequadas”, comemorou o prefeito do município, Tarcísio Zimmermann.

Durante a inauguração, integrantes do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários e Conexas do Estado do Rio Grande do Sul (Sindimetrô/RS), realizaram um protesto em frente à estação Santo Afonso. A categoria afirma que a Trensurb desrespeitou o acordo coletivo firmado com os trabalhadores. 

Jornal do Comércio - 03/07/2012

Nenhum comentário: